Projeto Político Pedagógico

 

           

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL
PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃOEM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

 

 

PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MODALIDADE A DISTÂNCIA

 

 

 

 

 

PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MODALIDADE A DISTÂNCIA

 

  

Equipe de elaboração:

 

Profª Drª. Eliane Moreira Sá de Souza – UFG
Coordenadora
Profª Drª Neiva de Araújo Marques – UFMT
Prof. MSc. Oreste Preti – UFMT
Prof. Dr. Paulo Guedes – UFBA


 


Sumario

1.

Dados de Identificação do Curso..........

07

2.

Introdução..............................................

08

3.

Caracterização Regional.................................

11

4.

Integração e Articulação da Educação  a Distância da UFPI ao Sistema UAB.....

 

12

5.

Aspectos Institucionais..........................................

14

5.1.

Missão.........................................................

14

5.2.

Princípios e Valores......................................

14

5.3.

Outros Aspectos.....................................................

14

6.

Concepção do Curso de Administração-EaD.................

16

6.1.

Diretrizes Metodológicas para Formação do Curso.........

16

6.2.

Dimensões de Formação...............................

17

6.3.

Aspectos do Curso..................................

18

6.3.1.

Objetivo Geral.....................................................

20

6.3.2.

Objetivos Específicos.....................

20

6.4.

Perfil do Egresso........................................

21

6.4.1

Competência e Habilidades

22

6.5.

Organização Curricular................................

23

6.6.

Carga Horária...................................

24

6.7.

Matriz Curricular...............................

25

6.8.

Conteúdo Programático........................

30

6.9.

Disciplinas Eletivas.............................

30

6.10.

Seminários Temáticos..........................

30

6.11.

Estágio Supervisionado...................................

31

6.12.

Atividades Complementares..............................

31

6.13.

Atividades de Nivelamento..............................

33

7.

Estrutura Administrativo-Pedagógica.........................

34

7.1.

Equipe Multidisciplinar..................................

37

7.2.

Programa de Capacitação e Atualização da Equipe Multidisciplinar...

38

7.3.

Docentes que Participam da Gestão do Curso..........

38

8.

Infraestrutura e Processo de Gestão Acadêmico-Administrativa....

39

8.1.

Seleção de Professores Tutores.........................

40

8.2.

Sistema de Tutoria..............................

41

8.3.

Encontros Presenciais...........................

43

8.4.

Controle da Produção e Distribuição do Material Didático....

43

9.

Avaliação Institucional e Avaliação da Aprendizagem.....

44

9.1.

Avaliação Institucional.....................................

44

9.2.

Avaliação dos Subsistemas de EaD.......................

45

9.3.

Avaliação de Aprendizagem................

46

10.

Processo de Comunicação-Interação entre os Participantes.........

48

11.

Corpo Docente

48

 

ANEXO 1-Sugestão de Fluxo................................

49

 

ANEXO 2-Ementário...................................

50

 

ANEXO 3-Corpo Docente que Participa da Gestão do Curso...

88

 

ANEXO 4-Regimento de Estágio..........................

91

 

ANEXO 5-Disciplinas Eletivas.............................

94

 

1. Dados de Identificação do Curso

a) Nome do Curso:

BACHARELADOEM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

 

b) Proponente:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI-UFPI/UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUI-UAPI

 

c) Público-Alvo:

Concluintes do segundo grau, que residam nas regiões dos municípios Pólos de Apoio Presencial do Curso de Administração Pública da UAB, selecionados por meio de processo seletivo de ingresso na UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI-UFPI/UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUÍ-UAPI.

 

d) Número de Vagas:

Serão ofertadas até 440 (quatrocentos e quarenta) vagas, distribuídas nos Pólos de Apoio Presencial do Cursoem ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, com abrangência aos municípios circunvizinhos.

 

e) Forma de Ingresso:

Processo Seletivo

 

f) Duração do Curso:

Mínimo 8 e máximo de 12 semestres para integralização curricular.

 

g) Previsão para início das atividades:

O início das atividades está previsto para o mês de agosto de 2009.

2. Introdução

O Projeto Universidade Aberta do Brasil – UAB foi criado pelo Ministério da Educação, em 2005, no âmbito do Fórum das Estatais pela Educação, para a articulação e integração de um sistema nacional de educação superior a distância, em caráter experimental, visando sistematizar as ações, programas, projetos, atividades pertencentes às políticas públicas voltadas para a ampliação e interiorização da oferta do ensino superior gratuito e de qualidade no Brasil.

Objetivando a consecução e fomento dos cursos da UAB, e consequentemente, a democratização, expansão e interiorização da oferta de ensino superior público, e da formação de gestores públicos, o Ministério de Educação, por meio da Secretaria de Educação a Distancia – SEED, estimula a oferta do curso de Administração Pública na modalidade a distância, operacionalizado pelas Instituições Públicas de Ensino Superior, de acordo com os instrumentos legais emanados pela UAB.

O Curso Bachareladoem Administração Públicavem ao encontro das necessidades das organizações públicas contemporâneas, que buscam gestores com visão holística das ações administrativas e políticas governamentais, capacitados para exercitar a gestão na esfera regional, nacional e internacional, de forma a contribuir para o alcance dos objetivos da nação.

Para atender a demanda pela formação superior de gestores públicos no Estado do Piauí, incluindo seus mais distantes municípios, a UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUI/UFPI através da UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUÍ/UAPI oferta o curso de Administração Pública na modalidade a distância (EaD), como forma eficaz para ampliar o número de beneficiários da formação superior gratuita e de qualidade, cumprindo assim sua missão e colaborando com o desenvolvimento da sociedade brasileira.

O projeto político-pedagógico do curso está pautado na observância aos dispositivos legais e dispositivos regimentares Institucionais, entre eles:

u LDB – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394, de 20.12.1996);

u DCN – Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Administração, Bacharelado (Resolução CNE/CES nº 4 de 13.07.2005);

u SINAES – Dispositivos legais e orientações do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior;

u Decretos
Decreto Nº. 5.622, de 19 de dezembro de 2005, regualmenta o art. 80 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (LDB).
Decreto N.º 5.773, de 09 de maio de 2006, dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e seqüenciais no sistema federal de ensino.
Decreto N.º 6.303, de 12 de dezembro de 2007, altera dispositivos dos Decretos nos 5.622, de 19 de dezembro de 2005, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 5.773, de 9 de maio de 2006, que dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e seqüenciais no sistema federal de ensino.

u Portarias
Portaria N.º 1, de 10 de janeiro de 2007.
Portaria N.º 2 (revogada), de 10 de janeiro de 2007.
Portaria N.º 40, de 13 de dezembro de 2007.

 

As Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração – Bacharelado estabelecem uma estrutura mínima para o projeto político-pedagógico do curso, contemplando os elementos estruturais abaixo, os quais integram este projeto:

                               I.      objetivos gerais do curso, contextualizados em relação às suas inserções institucional, política, geográfica e social;

                            II.      condições objetivas de oferta e a vocação do curso;

                         III.      cargas horárias das atividades didáticas e da integralização do curso;

                         IV.      formas de realização da interdisciplinaridade;

                            V.      modos de integração entre teoria e prática;

                         VI.      formas de avaliação do ensino e da aprendizagem;

                      VII.      modos de integração entre graduação e pós-graduação;

                   VIII.      incentivo à pesquisa, como necessário prolongamento da atividade de ensino e como instrumento para a iniciação científica;

                         IX.      concepção e composição das atividades de estágio curricular supervisionado, suas diferentes formas e condições de realização;

                            X.      concepção e composição das atividades complementares;

                         XI.      inclusão de trabalho de conclusão de curso sob as modalidades monografia, projeto de iniciação científica ou projetos de atividades, centrados em campo teórico-prático ou de formação profissional; e

                      XII.      especificação de cursos de pós-graduação lato-sensu e stricto-sensu, caracterizando a educação continuada.

O Curso de Administração Pública será ofertado na modalidade a distância. É importante compreender que a Educação a Distância (EaD) não pode ser reduzida a questões metodológicas, ou à simples gestão acadêmico-administrativa, ou como possibilidade apenas de emprego de Novas Tecnologias da Comunicação (NTCs) na prática docente e no processo formativo dos estudantes.

Não existe uma metodologia de Educação a Distância (EaD) e, menos ainda, um “modelo” único na oferta de cursos a distância. Cada instituição, ao longo desses anos, vem construindo sua experiência em EaD e se ajustando à modalidade, dando-lhe identidade, calcada na realidade local e na trajetória da instituição e dos profissionais que atuam na EaD.

Cabe esclarecer que nesse projeto não estão definidos os aspectos procedimentais para as IPES, no que diz respeito ao modelo de gestão e de organização do curso. Isso será definido no projeto político-pedagógico de cada instituição. O que está acenado aqui são os aspectos gerais sobre a modalidade de EaD, em sua dimensão conceitual e de gestão, para que seja garantida a qualidade na formação profissional dos estudantes deste curso.

3. Caracterização Regional

O Estado do Piauí, situado na região nordeste do Brasil, ocupa uma área de 1.548.675 Km², ou seja, 16,20% do território brasileiro é o terceiro maior Estado nordestino e o décimo terceiro em extensão territorial.

A população do Estado apresenta ritmos de crescimento diferenciados no tempo e no espaço, de acordo com a atividade econômica desenvolvida em cada região do Estado. De acordo com o censo realizado em1980, apopulação do Estado do Piauí era de 2.139.021 habitantes, correspondendo a 6,1% da população Nordestina e 1,8% da população brasileira. Em 1993, o resultado preliminar do censo registrava uma população de 2.657.415 habitantes.

A estrutura etária da população do Piauí, seguindo a apresentada por outros Estados brasileiros, é composta por uma população muito jovem, representando elevado potencial da força de trabalho para o setor produtivo.

A análise de alguns indicadores da economia piauiense, no período 1970/91, revela que o Produto Interno Bruto-PIB estadual, embora de maneira gradual, tem evoluído positivamente. Se em 1970, o Estado gerava 2,3% do produto regional, no fim dos anos noventa, esta participação elevou-se para 4,2%.

O Estado do Piauí tem como cidade-sede a capital Teresina que apresenta características especiais. Está localizada no centro-norte do Piauí e se constitui no centro decisório político, econômico e social. Por sua localização geográfica estratégica, no grande entroncamento rodoviário que interliga os Estados do Norte aos demais Estados do Nordeste e ao restante do país, também se configura como um razoável mercado consumidor regional.

O Estado do Piauí está entrecortado por 223 (duzentos e vinte e três) municípios que são responsáveis por produzir os mais variados produtos: camarão, lagosta, mel, couro bovino, cera de carnaúba, manga, castanha de caju, entre outros, sendo que alguns apresentam maior destaque por constarem na lista de produtos de exportação do Estado.

Assim, o nosso Estado amplia cada vez mais o seu mercado de trabalho abrindo espaço para várias categorias profissionais, inclusive a de Administrador Público, que precisa estar capacitado para atuar com sucesso nas atividades que lhe compete.

 

4. Integração e Articulação
da Educação a Distância da UFPI
ao Sistema Universidade
Aberta do Brasil – UAB

A Universidade Federal do Piauí teve sua primeira adesão ao Sistema de Universidade Aberta do Brasil em 2005 com a chamada pública para a seleção de pólos municipais de apoio presencial e de cursos superiores de Instituições Federais de Ensino Superior na Modalidade de Educação a Distância. Na oportunidade, a UFPI participou do projeto de implantação da Universidade Aberta através do consórcio com a Universidade Estadual do Piauí-UESPI, para a oferta do Curso de graduação em Administração na modalidade a distância, a ter início em 2007 e contando com o apoio financeiro do Banco do Brasil.

 

Além desse, outros cursos são ofertados. Através da Portaria nº 867, de 07 de abril de 2006, e dos convênios firmados entre o Governo do Estado do Piauí e as prefeituras municipais, a Universidade Federal do Piauí, através da Universidade Aberta do Brasil, ampliou o seu leque de atuação, inicialmente, com a oferta regular de  47 (quarenta e sete) cursos na modalidade a distância, em 08 (oito) áreas: Administração e Sistemas de Informação (bacharelado); Física, Matemática, Pedagogia, Biologia, Química e Filosofia (Licenciatura) todos com turmas de 50 (cinqüenta) alunos, 15 (quinze) pólos situados em diferentes municípios do Estado do Piauí, cujo início aconteceu entre os meses de julho e setembro de 2007.

 

Mais recentemente, já em 2009, passou a ofertar o curso de Administração Pública em convênio com a Assembléia Legislativa do Estado do Piauí, ofertando um total de 220 (duzentas e vinte) vagas para servidores daquela casa e a comunidade, na cidade de Teresina.

 

Dando continuidade ao processo de expansão da educação a distância pelo interior do Estado do Piauí, a UFPI através da Universidade Aberta do Piauí, passa a concorrer para a oferta do curso de bachareladoem Administração Pública.

 

Especificamente, o curso de Administração Pública – EaD está planejado para ser ofertado em 05 (cinco) Pólos de Apoio Presencial, conforme quadro abaixo:

 

 

Município Pólo

Nº de vagas

1

Água Branca

190

2

Floriano

100

3

Picos

  50

4

Bom Jesus

  50

5

Simplício Mendes

  50

TOTAL

440

 

5. Aspectos Institucionais

A Fundação Universidade Federal do Piauí (FUFPI) foi instituída nos termos da Lei nº 5.528, de 11 de novembro de 1968 e oficialmente instalada em 12 de março de 1971, na cidade de Teresina, com o objetivo de criar e manter a UFPI. A UFPI goza de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, que é exercida na forma da legislação vigente, de seu Estatuto e Regimento Geral.

Atualmente, a UFPI possui cinco campi: campus Ministro Petrônio Portela, em Teresina; campus Ministro Reis Veloso, em Parnaíba; campus Senador Helvídio Nunes de Barros, em Picos; campus Dr. Amílcar Ferreira Sobral, em Floriano e campus Profª Cinobelina Elvas,em Bom Jesusque ofertam, no total, mais de 90 (noventa) cursos de graduação presencial, atendendo a 17.873 (total de alunos matriculados no primeiro período de 2009) alunos.

Na pós-graduação, a UFPI, no ano de 2009, está ofertando à comunidade, 76 (setenta e seis) cursos de especialização ‘lato sensu”; além desses, também oferta cursos ‘strictu sensu’, sendo 02 (dois) doutorados e 19 (dezenove) mestrados.

A UFPI também se destaca pela oferta de ensino a distância. Desde2006, aUFPI oferta cursos de graduação na modalidade a distância garantindo aos piauienses o acesso à Educação Superior gratuita e de qualidade. Hoje a Universidade Aberta do Piauí-UAPI através da UFPI, atende a 30 (trinta) municípios do estado do Piauí, com a oferta de 08 (oito) cursos de graduação na modalidade a distância e um total de 6.035 alunos inscritos.

A UFPI é uma instituição que se apresenta junto à comunidade universitária e à sociedade civil com um elevado grau de credibilidade. A importância do trabalho oferecido por essa instituição à comunidade, ao Estado e ao País pode ser comprovada pela grande demanda de ingresso em seus cursos de graduação, pós-graduação e outras atividades, servindo como referencial de educação no Estado.    

5.1. Missão

É missão da Universidade Federal do Piauí propiciar a elaboração, sistematização e socialização do conhecimento filosófico, científico, artístico e tecnológico permanentemente adequado ao saber contemporâneo e à realidade social, formando recursos que contribuam para o desenvolvimento econômico, político e social e cultural local, regional e nacional.

5.2. Princípios e Valores

 

5.3. Outros Aspectos

           

O artigo 3º do Estatuto da Universidade Federal do Piauí explicita que esta instituição tem por objetivo cultivar o saber em todos os campos do conhecimento puro e aplicado, de forma a:

a) Estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo;

b) Formar diplomados nas diferentes áreas do conhecimento para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na formação contínua;

c) Incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia em consonância com os desafios da sociedade brasileira;

d) Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, da publicação de resultados de pesquisas e de outras formas de comunicação.

e) Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural, profissional e possibilitar a correspondente concretização e integração dos conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizada do conhecimento de cada geração;

f) Estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais e regionais, prestando serviços especializados à comunidade e estabelecendo com esta uma relação de reciprocidade; e,

g) Promover extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na instituição.

 

6. Concepção do Curso Administração – EaD

A sociedade contemporânea, caracterizada por aceleradas e permanentes mudanças, exige reestruturações constantes que permitam acompanhar o progresso da ciência e da tecnologia, considerando, ao mesmo tempo, o homem como peça-chave na evolução. Todas as instituições, em particular as de Ensino Superior, devem permanecer atentas para entender os sinais e buscar as adaptações e reformulações necessárias, descobrindo novas possibilidades e recursos para enfrentar os desafios deste milênio

O curso de Administração da Universidade Federal do Piauí - UFPI/Universidade Aberta do Piauí utilizou como ponto de partida para sua concepção a diversidade cultural do Estado do Piauí.

Devido à situação econômica baseada nos setores de serviços e governamental, a UFPI, sintonizada com esta demanda, propõe um curso voltado para as necessidades do mercado cada vez mais competitivo.

O Curso de Administração apóia-se no tripé ensino, pesquisa e extensão, visando a transmissão de conhecimento, a fundamentação científica e a prática profissional entrelaçadas às demandas sociais.

 6.1. Diretrizes Metodológicas para Formação do Curso

A proposta metodológica adotada neste curso considera as seguintes diretrizes:

                               I.      Nortear a concepção, a criação e a produção dos conhecimentos a serem trabalhados no curso, de forma que contemplem e integrem os tipos de saberes que hoje são reconhecidos como essenciais às sociedades do Século XXI: os fundamentos teóricos e os princípios básicos dos campos de conhecimento; as técnicas, as práticas e os fazeres deles decorrentes; o desenvolvimento das aptidões sociais ligadas ao convívio ético e responsável;

                            II.      Promover permanente instrumentalização dos recursos humanos envolvidos no domínio dos códigos de informação e comunicação, bem como suas respectivas tecnologias, além de estimular o desenvolvimento do pensamento autônomo, da curiosidade e da criatividade;

                         III.      Selecionar temas e conteúdos que reflitam, prioritariamente, os contextos das realidades vividas pelos estudantes, nos diferentes espaços de trabalho e também nas esferas local e regional;

                         IV.      Adotar um enfoque pluralista no tratamento dos temas e conteúdos, recusando posicionamentos unilaterais, normativos ou doutrinários;  e

                            V.      Nortear as atividades avaliativas da aprendizagem, segundo uma concepção que resgate e revalorize a avaliação enquanto informação e tomada de consciência de problemas e dificuldades, com o objetivo de resolvê-los.

                         VI.      Em síntese, as diretrizes do curso devem oportunizar formação que privilegie competências profissionais, sociais e políticas, baseadas nos aspectos:

u técnico-científico, condizente com as exigências que a gestão pública contemporânea impõe; e

u ético-humanístico e político-social, que a formação do cidadão e do gestor público requer.

6.2. Dimensões de Formação

 

A formação e o perfil do administrador público serão expressos através de duas dimensões:

                               I.      epistemológica: que diz respeito à escolha e aos recortes teórico-metodológicos das áreas e disciplinas ligadas ao currículo da Administração Pública; e

                            II.      profissionalizante: que, implicando a primeira, diz respeito aos suportes teórico-práticos que possibilitam uma compreensão do fazer do administrador público e a construção de competências para atuação em todas as suas relações sociopolíticas, culturais e nas perspectivas da moral e da ética.

6.3. Aspectos do Curso

 

A concepção do Curso de Bachareladoem Administração Públicaestá voltada para a formação de egressos capazes de atuarem de forma eficiente e eficaz no contexto da gestão pública, à luz da ética, buscando contribuir para o alcance dos objetivos e desenvolvimento das organizações governamentais e não governamentais, de forma a possibilitá-las atender às necessidades e ao desenvolvimento da sociedade.

 

Para tal, o curso contempla sólida formação nas teorias administrativas e enfatiza o desenvolvimento de competências necessárias ao bom desempenho profissional do gestor público, além de formação generalista, permitindo definir um perfil de administrador moderno, capacitado a planejar, organizar, dirigir e controlar a ação e as políticas públicas nas diversas esferas de poder e de governo.

Buscando oportunizar a formação de profissionais para atuarem como gestores em áreas específicas da adminstração pública, o curso oferece três Linhas de Formação Específica (LFE), ampliando competências e agregando ao egresso habilidades para o exercício da gestão pública na área por ele escolhida.

Acenando para a educação continuada, por meio de um elo entre graduação e pós-graduação, serão ofertadas a critério de cada (IPES) três LFEs, sendo indicadas inicialmente as seguintes linhas:

u Linha de formaçãoem Gestão Públicada Saúde;

u Linha de formaçãoem Gestão Municipal;

u Linha de formaçãoem Gestão Governamental.

O projeto político-pedagógico do curso procura valorizar a formação de atitudes de reflexão, de busca de inovações, de prospecção e criação de caminhos próprios que possam suprir as necessidades da gestão pública e permitir a atuação nos processos operacionais e decisórios sob a égide do conhecimento, da ética, da cidadania e da humanidade.

O desenvolvimento dos aspectos estruturais do curso de Administração Pública, sua vocação e organização caracterizam-se pelos seguintes elementos compositivos:

                               I.      Transversalidade – Os conteúdos sempre que vinculados a outras disciplinas, serão estudados de forma integrada, perpassados por questões ligadas aos aspectos éticos, de transparência, de inovação e de sustentabilidade. Isso possibilitará aos autores dos textos didáticos e aos estudantes a construção holística de determinado tema.

                            II.      Atividades Acadêmicas Articuladas ao Ensino – envolvendo discentes em práticas de pesquisa e extensão, com o objetivo de despertar nestes, atitudes de investigação, de reflexão, de análise crítica e de prospecção de soluções inovadoras, além de propiciar vivências administrativas inseridas nos setores produtivos e de serviços. Dentre as atividades Acadêmicas Articuladas ao Ensino encontram-se os seminários temáticos, que possibilitam o desenvolvimento de pesquisas, articulando atividades acadêmicas com as necessidades do Estado e da sociedade, como também a realização do Estágio Supervisionado, inserindo o discente em atividades reais de administração pública, aprimorando assim a sua formação profissional.

                         III.      Trabalho de Conclusão de Curso – TCC – que consiste na elaboração de uma monografia desenvolvida pelo acadêmico, ao longo dos Seminários Temáticos distribuídos nos Módulos V, VI, VII e VIII, com foco nos conteúdos de gestão pública estudados no curso e aplicados à área da Linha de Formação Específica escolhida pelo acadêmico. No TCC, o estudante deverá demonstrar domínio significativo do conteúdo programático do curso, dos procedimentos metodológicos da pesquisa e das normas técnicas de elaboração de uma monografia. Os TCCs aprovados integrarão o acervo do curso, enriquecendo as fontes de pesquisa para desenvolvimento do pensamento administrativo dos acadêmicos. A defesa do trabalho será continuada, a cada semestre, integrando atividades dos Seminários Temáticos nos encontros presenciais e será assistida por estudantes do curso, disseminando assim as pesquisas desenvolvidas e a visão holística das organizações.

6.3.1. Objetivo Geral

Formar profissionais com amplo conhecimento de Administração Pública, capazes de atuarem no âmbito federal, estadual e municipal, administrando com competência as organizações governamentais e não-governamentais, de modo pró-ativo, democrático e ético, tendo em vista a transformação e o desenvolvimento da sociedade e do país.

6.3.2. Objetivos Específicos

Os objetivos específicos do curso são:

                               I.      Oportunizar a conscientização do estudante para agir dentro de princípios éticos, morais, legais e cívicos, promovendo o ser humano como força de trabalho e capital intelectual.

                            II.      Propiciar formação integral do egresso de tal forma a permitir-lhe pesquisar, estudar, analisar, interpretar, planejar, implantar, coordenar e controlar ações no campo da administração, fazendo vigorar a legislação profissional e normas éticas a que está sujeita a gestão.

                         III.      Formar profissionais capazes de ampliar os níveis de competitividade organizacional frente ao dinamismo das transformações no âmbito interno e externo às organizações.

                         IV.      Capacitar o estudante para enfrentar os desafios e as peculiaridades locais e regionais e do próprio mercado de trabalho, considerando a função social que deve exercer, por meio de formação sólida que lhe dê um embasamento de cultura geral, complementado pela visão holística em sua dimensão humanística e técnica.

                            V.      Preparar o estudante para atuar como gestor, envolvendo-se com decisões, estratégias e adversidades, buscando estabelecer vantagens competitivas no mercado globalizado, frente às mudanças impostas pelo ambiente.

                         VI.      Preparar lideranças para a administração pública, gerar novos empreendedores e capacitar mão-de-obra já inserida no mercado para atuação na gestão pública.

                      VII.      Despertar no estudante o interesse de capacitar-se como gestor público empreendedor, gerente e técnico preparado para enfrentar as mais diferentes situações de mercado e de necessidades da sociedade, com liderança, iniciativa e criatividade para interferir na realidade, antecipando-se aos fatos ou adequando-se às novas tendências.

6.4. Perfil do Egresso

O curso de Administração da UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ-UFPI/UNIVERSIDADE ABERTA DO PIAUÍ-UAPI está organizado visando formação de profissionais com perfil aderente àquele demandado pelas organizações públicas contemporâneas, permitindo, por meio de disciplinas obrigatórias, da linha de formação específica, dos seminários temáticos, do estágio supervisionado e do Trabalho de Conclusão de Curso, a formação de competências que preparem o egresso às contingências da gestão pública.

As organizações públicas modernas buscam o administrador generalista, integral e integrado, notadamente um agente de mudanças, que gere novos conhecimentos e caminhos para o aprimoramento e o desenvolvimento socioeconômico, político, técnico e cultural. Em outras palavras, um profissional autodidata, detentor de amplo portfólio de conhecimento, consciente da contínua necessidade de aprofundamento do conhecimento da Administração Pública e atualização das interfaces entre esta e outras áreas relacionadas, especialmente as afins, sem perder de vista as descobertas daquelas correlatas, uma vez que qualquer que seja o objeto de trabalho, ele estará inserido no contexto integral de uma sociedade globalizada.

Para atender às expectativas dessa sociedade emergente, o curso Bachareladoem Administração Públicaprocura formar profissionais de competência sólida e moderna, em condições plenas de atuação eficiente e eficaz, preocupados com a relevância social do produto de seus trabalhos, apresentando habilidades para pró-atividade e criatividade; raciocínio lógico, crítico e analítico; visão sistêmica e estratégica para negociações, tomada de decisão, liderança e trabalhos em equipe.

6.4.1 COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

O egresso do curso de Administração Pública estará apto a:

                               I.      atuar e desenvolver atividades específicas da gestão nas organizações públicas e participar da elaboração, do planejamento, da coordenação e do controle de políticas públicas;

                            II.      compreender de forma sistêmica o meio social, político, econômico e cultural onde está inserido e assim tomar decisões em um contexto diversificado e interdependente da área pública, promovendo o estreitamento das relações entre Governo e Sociedade Civil;

                         III.      empreender e promover transformações de forma interdisciplinar, compreendendo a necessidade do contínuo aperfeiçoamento profissional e do desenvolvimento da autoconfiança, participando da modernização e inovação das estruturas e funcionamento do Serviço Público;

                         IV.      expressar-se e comunicar-se com clareza e assertividade;

                            V.      promover com determinação e vontade política e administrativa a educação continuada de servidores públicos;

                         VI.      liderar processos de mudança das desigualdades e de exclusão econômica e social;

                      VII.      adequar os recursos financeiros, físicos e tecnológicos visando o bem- estar coletivo e promover processos democráticos participativos no âmbito estatal que possibilite a iniciativa e o desenvolvimento pleno das pessoas;

                   VIII.      reconhecer e definir problemas, equacionar soluções, pensar estrategicamente, introduzir modificações nos processos organizacionais, atuar preventivamente, transferir e generalizar conhecimentos e exercer, em diferentes graus de complexidade, o processo da tomada de decisão;

                         IX.      refletir e atuar criticamente sobre a esfera da produção de serviços públicos, compreendendo sua posição e função na estrutura produtiva sob seu controle e gerenciamento;

                            X.      desenvolver raciocínio lógico, crítico e analítico para operar com valores e formulações matemáticas presentes nas relações formais e causais entre fenômenos produtivos, administrativos e de controle em diferentes contextos organizacionais e sociais; e

                         XI.      elaborar, implementar e consolidar projetos, realizar consultoria e auditoria, elaborar pareceres e perícias administrativas em organizações públicas.

6.5. Organização Curricular

 

A estrutura curricular do curso contempla disciplinas cujos conteúdos revelam as inter-relações das dimensões da realidade público-privado, nacional-internacional e das esferas federal, estadual e municipal, numa perspectiva histórica e contextualizada de sua aplicabilidade no âmbito das organizações e do meio, utilizando tecnologias inovadoras assim como atendendo aos seguintes campos interligados de formação, conforme especificado nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para os Cursos de Administração:

 

                               I.      Conteúdos de Formação Básica – relacionados com estudos antropológicos, sociológicos, filosóficos, psicológicos, ético-profissionais, políticos, comportamentais, econômicos e contábeis, bem como os relacionados com as tecnologias da comunicação e da informação e das ciências jurídicas, através das disciplinas: Introdução à Economia; Sociologia Organizacional; Economia Brasileira; Psicologia Organizacional; Filosofia e Ética; Ciência Política; Contabilidade Geral;  Macroeconomia; Contabilidade  Pública; Instituições de Direito Público e Privado; Legislação Tributária e Comercial; Direito Administrativo; Negociação e Arbitragem; Auditoria e Controladoria; e Políticas Públicas e Sociedade.

 


Centro de Educação Aberta e a Distância - CEAD/UFPI